APRESENTAÇÃO
INÍCIO

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), da Universidade Federal do Pará (UFPA) oferece aos alunos de graduação uma oportunidade de aprimorar sua formação acadêmica, a partir da inserção em grupos de pesquisa ativos e produtivos, com desempenho também na pós-graduação stricto sensu. Em linhas gerais, o PIBIC amplia o horizonte da formação discente ao promover sua familiarização com a pesquisa e o prepara para uma atuação futura tanto em instituições acadêmicas e de pesquisa, quanto em funções profissionais não acadêmicas.

Iniciado como uma parceria entre a UFPA, por meio de sua Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPESP), e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o PIBIC conta, atualmente, também com o apoio da Pró-Reitoria de Extensão da UFPA (PROEX) e da Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (FAPESPA). O programa cresceu e diversificou sua clientela e suas fontes de financiamento, compreendendo agora doze subprogramas: PIBIC/UFPA, PIBIC/CNPq, PIBIC/UFPA-Interior, PIBIC/UFPA-AF, PIBIC/CNPq-AF, PIBITI/CNPq, PIBIC/UFPA-PRODOUTOR (subprogramas Apoio ao Recém Doutor e Apoio ao Doutor Recém Contratado), PIBIC-EM (Ensino Médio) e PIBIC/UFPA EBTT (Ensino Básico Técnico e Tecnológico), PIBIC/UFPA-PE-ACERVOS, PIBIC/UFPA-PE-INTERDISCIPLINAR e PIBIC/FAPESPA.

Nos últimos cinco anos a oferta de bolsas no PIBIC da UFPA experimentou um crescimento substancial, passando de 581 bolsas em 2010, para 803 em 2011, 831 em 2012, 847 em 2013 e 936 em 2014 . Em 2016, com um novo aporte de recursos próprios ao programa e com as parcerias com CNPq, CAPES e FAPESPA, a UFPA espera ofertar pelo menos 1.100  bolsas de iniciação científica, garantindo, desse modo, a renovação de bolsas já existentes e o atendimento das propostas de bolsas novas.

Considerado estratégico para a promoção da cultura científica na educação superior e para o estímulo dos melhores talentos para a carreira científica, o PIBIC tem crescido na UFPA, sobretudo como resultado do esforço institucional. É principalmente da mobilização de recursos próprios que resulta, nos últimos anos, a expansão na oferta de bolsas e a incorporação de novos docentes e discentes ao programa. Esse comprometimento é feito com o objetivo de dar sustentação à criação e consolidação dos grupos de pesquisa que mantêm um número crescente de programas de pós-graduação stricto sensu com elevado padrão de qualidade.

A expansão do PIBIC alcançou uma maior interiorização, contribuindo para institucionalizar a atividade de pesquisa nos diversos campi da UFPA. Além do acréscimo do número de bolsas para discentes do interior, inclusive pelo subprograma PIBIC-PRODOUTOR, desde 2012, o Seminário de Iniciação Científica realiza-se em nove  dos onze campi da instituição.

Neste XXVII Seminário de Iniciação Científica, serão mais de mil trabalhos apresentados, abrangendo todas as áreas em que a UFPA oferece cursos de graduação. O avanço qualitativo do programa se constitui como uma meta à qual a PROPESP tem dado grande atenção, com o apoio e a participação ativos do Comitê de Pesquisa, constituído por representantes de todas as unidades da UFPA. Esse processo de qualificação do PIBIC ainda demanda ações que possibilitem maior dedicação docente e discente às atividades programadas, e avançará tão mais rapidamente quanto mais o modelo de formação na graduação conferir centralidade ao treinamento científico fora das salas de aula.

Os resultados alcançados com o PIBIC na UFPA são reflexo direto do empenho e dedicação dos pesquisadores e alunos que participam do programa, assim como da colaboração que o sistema tem recebido de seus parceiros internos (Reitoria, PROEX) e externos (CNPq, FAPESPA, consultores e divulgadores). A todos, a PROPESP registra seu agradecimento e renova o convite para que continuem participando desta iniciativa, que de modo inequívoco fortalece os grupos de pesquisa na instituição e contribui para que a UFPA cumpra, com êxito, suas funções relacionadas à produção de conhecimento e à formação de recursos humanos de excelência para dignificar a região Amazônica.